You are currently browsing the tag archive for the ‘Pelotas’ tag.

Marco Gottinari: Lançamento do CD Tudo uma Canção

Marco Gottinari: violão, flautas e violinos. Foto: Cíntia Barenho/CEA

 “Um milagre somente acontece

Depois que a mente pede, logo esquece

Deita tudo na mão do destino

Somos homens, anjos, seres divinos

….Quero ver um sorriso na boca do povo…”

por Cíntia Barenho

Na última quarta-feira, 24/10, aconteceu em Porto Alegre o lançamento do disco “Tudo uma Canção”de Marco Gottinari.

Na plateia muitos pelotenses, portoalegrenses, mas especialmente pessoas que já conviveram  e admiram a família musical e ecológica dos Gottinarri, que vivem no Templo das Águas na Colônia Maciel de Pelotas/RS.

No palco Gottinari, além de cantar suas belas canções com a “tipo banda” (como ele mesmo denomina seus parceiros musicais de palco) ele brinca e diverte o público. Nada passa despercebido às piadinhas que ele faz no palco, até mesmo com seu filho, parceiro musical, no qual disse que ainda vai gravar junto um disco tipo “pop”.

Marco Gottinari: Lançamento do CD Tudo uma Canção

Marco Gottinari e seu banquinho de taquara+violão. Foto Cíntia Barenho/CEA

No seu banquinho de taquara, desenvolvido especialmente para o show, entre uma arrumação e outra, ele conta vários causos de sua vida, de sua música.

Em determinado momento, chama seu irmão, que junto com crianças de um projeto social de Pelotas, abrilhantam ainda mais o espetáculo, com suas flautas e violinos.

“o avesso do fim renascer”

Agora o que chama atenção é o fato que a música entrou de fato na sua vida em 2004, como uma salvação à agricultura agrotóxica desenvolvida por Gottinari.

Em 2004 um incêndio em galpão da propriedade, fez com que todo seu aparato de agricultura fosse destruído. Diante de tal “tragédia” veio seu renascer. Ele nos conta, que na época, plantando tomate, eram cerca de 100 aplicações de agrotóxicos no ciclo de plantação (cerca de 3 meses).

“Eu alimentava vocês com agrotóxicos, com veneno!” Grita ele do palco.

Querendo sair daquela vida escrava dos agrotóxicos, mas endividado no Banco, aos poucos foi se reerguendo com a música. Inclusive ele problematizou que ao buscar a agricultura ecológica para trabalhar, enfrentou as dificuldades de não acesso a financiamento, já que os bancos (e públicos) financiam as lavouras envenenadas.

Como ele mesmo canta “um milagre somente acontece… depois que a mente pede…deita tudo na mão do destino”, aos poucos o Templo das Águas foi se formatando, a música foi se consolidando e hoje vivem, não com muito dinheiro, mas com a dignidade necessária.

“Depois que as cidades desaparecerem ficam os matos.”

O Templo das Águas, localiza-se a uns 37km de Pelotas. Como o próprio nome indica é local de águas abundantes, com cachoeira alimentada pelo arroio Pelotas, além de ter piscina de pedra, turbilhões e duchas naturais.

A propriedade conta com trilhas, um sistema Agro Florestal e um labirinto de bambus/taquaras. A permacultura, a agricultura ecológica orientam todo o desenvolvimento do Templo.

Há uma série de portais moldados para embelezar ainda mais.

O local também já serviu de locação para um seriado global, mas isso é o menos relevante, diante da beleza natural do local.

“Coloque a semente no barro

o barro para proteger

depois ofereça pra terra

que ela acolhe com todo o prazer”

Conheci e convivi bastante com Marco e Marta durante o desenvolvimento do projeto “Construindo a Agenda 21 de Pelotas”, desenvolvido pela SQA com recursos do FNMA/MMA, em parceria com entidades de Pelotas. Nós do CEA atuávamos na Orla da Laguna dos Patos e a Teia Ecológica na Colônia de Pelotas. Marta e Marco engajaram-se nas ações do projeto, que coincidiu com o momento de transição para a agricultura ecológica, para a permacultura.

Marco chimarreando antes do show com Dercio Marques, em Pelotas/2005. Foto: Cíntia Barenho/CEA

Depois disso, fizemos alguns projetos culturais juntos, como da vinda do violeiro Dercio Marques à Pelotas, que partiu recentemente.

Sementes boas plantadas na terra fértil de Pelotas, que atualmente amarga processos anti-ecológicos, especialmente se olharmos para a Orla da Laguna dos Patos e para o incentivo à Cultura.

“Recolhi no quintal

folhas e frutos para todo o mal

entre as mãos fiz abençoar

alecrim, gerivá, hortelã, butiá

zepelim eu quero voar”

Voltando ao show é merecido o destaque aos coquinhos distribuídos ao público, por Gottinari. Segundo ele, a base de sua alimentação e energia necessária, desde quando trabalhava como diaristas nas colheitas locais até hoje no seu dia-a-dia mais ecológico. Brincou que quando trabalhava, mesmo sendo muito franzinho, foi o  coquinho que fez ele conquistar o recorde na colheita do pêssego: “enchi um caminhão apenas num dia, só não foi mais, porque faltou caixas”.

O coquinho de gerivá (ou jerivá) remete a minha infância, muito quebrei coquinho para comer a amêndoa que havia dentro. Obviamente não me furtei em trazer num saquinho alguns para comer em casa.

Disco produzido pela Nativu Design, ilustrado com belas fotos do Templo das Águas, letras das músicas e um bambuzinho para dar um ar mais ecológico. Destaque para a licença Creative Commons, que permite cópia e compartilhamento do disco. Como bem disse Marco, quanto mais gente nos conhecer melhor!

E para finalizar, além de comprar o disco “Tudo uma canção”, recheado de canções extremamente ecológicas e muito bem produzido em Pelotas, também voltei cheia de Cavalinha e Macela. Essas ervas estavam dispostas na decoração do palco e ao final do show, gentilmente todos e todas foram convidadas a levar essas ervas santas para casa e seguir na luta ecológica, já que, como canta Marco “o sol ta mudando de cor…a terra pedindo socorro”.

Deixo aqui mais uma bela canção desse disco, Deus de Paus, produção do Rastro Selvagem

Se quiser saber mais sobre o Templo das Águas, veja no Facebook: AQUI

Veja mais fotos do show AQUI

Anúncios

Atualizado: Do alimento com agrotóxico ao sorriso na boca do povo: a música de Gottinari

Ontem aconteceu , em Porto Alegre, o show de Marco Gottinari com o lançamento do seu disco “Tudo uma Canção”. Estamos preparando um post, mas enquanto o mesmo não vem, fica a boa música que é a Caminhos…

Saiba como adquirir seu ingresso, no facebook do Templo das Águas

E seguem tentando acabar com o Pontal da Barra e com os banhados locais….

MPF quer impedir a implantação de loteamento residencial no banhado Pontal da Barra

O Ministério Público Federal (MPF) em Pelotas/RS ajuizou Ação Civil Pública contra a empresa Pontal da Barra Loteamentos Ltda. e a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler (FEPAM/RS), objetivando anular a Licença de Instalação – LI n.º 1390/2010-DL, por meio da qual foi autorizada a implantação de um loteamento residencial na área do Pontal da Barra, na Praia do Laranjal, em Pelotas/RS. O MPF pede, também, a condenação da FEPAM/RS a não mais conceder licenças ambientais para a mesma área, e que o empreendedor recupere a área já degradada para a implantação do empreendimento.

De acordo com o autor da ação, procurador da República Mauro Cichowski dos Santos, constatou-se no decorrer da investigação procedida por meio do Inquérito Civil n.º 1.29.005.000048/2008-60, que a maior parte da área é constituída por banhado, sendo, portanto, de preservação permanente. “Além disso”, destaca ele, “existem estudos que indicam a necessidade de preservação da área pelo fato de ser o habitat permanente e exclusivo de espécies da fauna oficialmente declaradas, nas esferas nacional e estadual, como em perigo de extinção, especialmente duas espécies de peixe anual”.

18 sítios arqueológicos – Conforme o procurador da República, a FEPAM/RS também concedeu a Licença de Instalação sem estabelecer qualquer condicionante, a ser cumprida pelo empreendedor, para fins de preservação dos 18 sítios arqueológicos até o momento identificados, e de outros que possam vir a ser descobertos, na área do Pontal da Barra, na Praia do Laranjal, em Pelotas/RS.

Mauro Cichowski dos Santos destaca, ainda, que a FEPAM/RS, com a concessão da licença, descumpriu o disposto no artigo 1.º da Resolução CONAMA n.º 428/2010, já que autorizou a implantação de um empreendimento de significativo impacto ambiental com potencial concreto de afetar uma unidade de conservação federal – a Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN “Pontal da Barra” – sem a prévia autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio.

Fonte: JUsBrasil

Veja em mais em: https://centrodeestudosambientais.wordpress.com/tag/pontal-da-barra/

Construção de banheiros pelo atual governo municipal de Pelotas em APP, ora embargada pela Justiça Federal, a pedido do MPF. 2011. Foto: CEA

Em ação do MPF/SC, Justiça determina demolição de prédio. Edifício, que nunca foi terminado, está sobre Área de Preservação Permanente.

A Justiça Federal de Blumenau (SC) deu sentença em Ação Civil Pública do Ministério Público Federal, determinando a demolição do edifício inacabado do Clube Náutico América, situado na Rua XV de Novembro, às margens do rio Itajaí-Açu e sobre Área de Preservação Permanente (APP). O clube, a R. B. Planejamento e Construções, a Itacolomi Incorporações Imobiliárias e o Município de Blumenau também deverão remover os entulhos e promover a recuperação da área degradada.

A ação do Ministério Público Federal foi ajuizada em 2008 pelo procurador da República João Marques Brandão Néto, como parte de um esforço para que seja cumprido o Código Florestal na zona urbana de Blumenau, Ilhota e Gaspar. O objetivo do MPF é a demolição das construções erguidas a menos de 100 metros da margem do rio Itajaí-Açu.

Em 1936, o Estado de Santa Catarina cedeu o terreno situado na Rua XV de Novembro ao Clube Náutico América. Em 1962, o Estado efetivou a doação. Em 1985, o Município de Blumenau expediu alvará para a construção de edifício sobre o terreno, que foi iniciada, mas permanece inacabada até hoje. Para o procurador Brandão, a irregularidade da obra não está só no fato de se encontrar sobre APP, mas também na situação de abandono do prédio, o que desrespeita o Estatuto das Cidades.

A Justiça também declarou nulas, em relação à área correspondente ao terreno de marinha, a doação e a cessão feitas pelo Estado de Santa Catarina ao Clube América. O clube, a R. B., a Itacolomi e o Município de Blumenau deverão realizar a demolição e a remoção dos entulhos no prazo de até 12 meses a partir do trânsito em julgado da sentença. Além disso, a recuperação da área degradada deverá ser feita mediante projeto a ser apresentado, no prazo de 60 dias, contados do final do prazo anterior, aos órgãos ambientais competentes.

Também foi vedada, ao Município de Blumenau, a expedição de novos alvarás relativos à construção.

Ação nº 2008.72.05.002349-9

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República em Santa Catarina
Fone: (48) 2107-2466
E-mail: ascom@prsc.mpf.gov.br

O CEA pergunta: alguma semelhança com a tentativa de construção de banheiros (foto acima), pelo atual governo municipal de Pelotas, em APP da Laguna dos Patos, no Balneário do Laranjal, cuja obra esta ora embargada pela Justiça Federal, a pedido do MPF?

Em razão de estarmos iniciando a SEMANA NACIONAL DO TRÂNSITO, o Grupo Pedal Curticeira, em parceira com o Movimento dos Usuários de Bicicleta de Pelotas (MUBPel) e SEST/SENAT, está realizando algumas ações que buscam atrair a atenção da população para a HUMANIZAÇÃO do TRÂNSITO.
O objetivo é que se promova o respeito e o compartilhamento das ruas entre veículos motorizados e não-motorizados, que se privilegie o TRANSPORTE de PESSOAS e o USO RACIONAL do AUTOMÓVEL, que tem se mostrado PROTAGONISTA de um verdadeiro CAOS URBANO.
O aumento do uso da bicicleta SEMPRE que POSSÍVEL, potencializa uma mudança de cidade, de comportamento e, consequentemente, de QUALIDADE de VIDA para AS PESSOAS. Com o uso da BIKE se troca a poluição atmosfera e sonora, problemas respiratórios, engarrafamentos, acidentes de trânsito por SAÚDE INDIVIDUAL & COLETIVA.

TERÇA-FEIRA (20/set)

  • Distribuição de mudas de árvores nativas nos seguintes locais e atividades conjuntas:
    • Avenida Bento Gonçalves: a partir das 9h. TODOS  convidados a ir lá tomar uns mates;
    • Laranjal (defronte o trapiche): a partir das 15h, com pedalada que partirá do centro.
  • Pedalada ao Laranjal: Partida as 14:15h (concentração às 14h) da Pça. Cel. Pedro Osório.

QUARTA-FEIRA (21/set)

  • Mesa Redonda” com o tema “MOBILIDADE URBANA NÃO MOTORIZADA” as 14h no auditório do SEST/SENAT (Avenida Engenheiro Ildefonso Simões Lopes, n° 1.206, Três Vendas), cujo objetivo é apresentar o contexto atual da mobilidade em Pelotas, problematizá-lo e levantar possibilidades de “ações piloto” para uma mudança de comportamento social que sejam viáveis e eficientes;

QUINTA-FEIRA (22/SET)

DIA MUNDIAL SEM O AUTOMÓVEL
  • Inauguração Bicicletário Campus Porto – UFPel (9h).
  • Implantação de CICLOFAIXAS e : demarcadas por cones em ruas de acesso do Bairro 3 Vendas ao Centro.
  • SINALIZAÇÃO de COMPARTILHAMENTO DAS VIAS: implantação de placas que sinalizem a necessidade de compartilhamento das vias públicas entre veículos motorizados e bicicletas.
  • Distribuição de Mudas Nativas na Pça. Cel. Pedro Osório (das 16 às 18:30)
  • BICICLETADAS:
    • 1ª Bicicletada (16h): Partida do LARGO VERNETTI com destino ao Campus Porto – Organização MUBPel;
    • 2ª Bicicletada (19h): Partida da Pça. Cel. Pedro Osório e passeio pelos principais ruas da cidade Organização Pedal Curticeira;

SÁBADO – 24/set

Pedal Temático (manhã e tarde): aguarde novas informações…

 Bora bicicletear!!!

Fonte: http://www.pedalcurticeira.com.br/2011/09/19/semana-nacional-do-transito-programacao-curticeira/

Proposta de integração regional da SEURB, da Prefeitura Municipal de Pelotas/RS. Extraído do Caderno Sustentar 03 da SEURB.

Nesta sexta-feira (12/08), às 14 horas, no Salão Nobre da Prefeitura de Pelotas, a Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (METROPLAN), juntamente com a Secretaria Estadual de Obras Públicas, Irrigação e Desenvolvimento Urbano, promove a instalação do Conselho Deliberativo da Aglomeração Urbana do Sul (AUSUL), formada pelos municípios de Pelotas, Rio Grande, São José do Norte, Capão do Leão e Arroio do Padre.

O evento contará com a presença do secretário Luiz Carlos Busato (PTB/RS), com diretor superintendente da METROPLAN, Elir Girardi (PTB/RS), prefeitos e vice-prefeitos dos municípios, presidentes de Câmaras de Vereadores e reitores das instituições de Ensino Superior sediadas em Pelotas e Rio Grande.

O referido fórum, criado por lei em 1990, nunca havia sido instalado pelo governo do estado. Tal Conselho Deliberativo  se equivale, grosseiramente falando, a um Conselho Municipal de Plano Diretor, porém no plano regional, daí inadequado não prever a participação da sociedade civil na condição de conselheiro. Fato que traduz uma postura antidemocrática, contrária a lei e a eficácia do planejamento urbano desejado. Outrossim, o proprio Estatuto da Cidade garante a participação da coletividade na gestão urbana.

Mesmo assim, o Conselho Deliberativo hoje instalado pretende, considerando o plano regional, tratar de temas sobre planejamento urbano os projetos de desenvolvimento, o que, em parte o governo municipal de Pelotas buscou realizar, notadamente nos anos de 2001 e 2002, conforme o I Congresso da Cidade de Pelotas. Leia mais no Caderno Sustentar 03, em: https://centrodeestudosambientais.wordpress.com/publicacoes/

A METROPLAN, criada em 1974, é uma fundação vinculada a Administração Publica estadual e esta encarregada de tarefas relacionadas com a elaboração e coordenação de planos, programas e projetos de desenvolvimento regional e urbano do Estado. Inclusive a atribuição de planejamento, de coordenação, de fiscalização e de gestão do Sistema Estadual de Transporte Metropolitano Coletivo de Passageiros

Fonte: CEA e Metroplan  

O próximo dia 12 de junho marca os 10 anos de história e resistência da RádioCom.Pensando nessa etapa importante que a emissora viveu e pretende permanecer por muito tempo de difusão da informação, valorização da cultura local e busca pelo direito social da comunicação, a RádioCom convida seus ouvintes, colaboradores e amigos a comemorem seus 10 anos, oferecendo uma extensa programação que começará no mês de junho e se estenderá ao longo desse ano e de 2012.

A programação que a partir do mês de julho já terá a participação conjunta do Instituto Mário Alves (IMA) – organização com forte sintonia social e que também comemora seus 10 anos neste ano, contará também com debates, cineclubes e exposições.

Confira e participe da programação para o mês de aniversário que tem recebeu um grande apoio do SESC:
10/06 – Pocket show com TOTONHO VILLEROY
Fábrica Cultural (Félix da Cunha, 952) às 20 hs.
Entrada Franca (retire sua senha na RádioCom – Félix da Cunha, Rua Félix de Cunha, 614 – Galeria Antunes Maciel, Sala 203)

11/06 – FESTIVAL ARTE DAQUI
Apresentação de Bandas que fizeram parte dos álbuns ARTE DAQUI (vol I, II e III) e Gravação de DVD, relançando o projeto.
Entrada Franca
Fábrica Cultural (Félix da Cunha, 952), das 14h às 23h.

12/06 – DOMINGO NO PARQUE
Espaço Marina (Tamandaré, 51), das 14h às 23h.
Apresentações musicais, teatrais e circenses. Oficinas, feira de troca e feira solidária. Roda de Capoeira. Grafite. Comes e bebes. Sorteio da cesta do Piquenique Cultural. Mostra de vídeos, fotografias e esculturas. Lançamento do CineClube.

15/06 Exposição BancArte: “10 ANOS RÁDIOCOM”
Sindicato do Bancários (Tiradentes, 3087), às 18h.

18:00- Mostra de Vídeo Arte,
19:00- Janete Flores e músicos,
Mostra de Painéis do Pelotas Abandonada.
Mostra de Fotografias e Cartazes da Rádio.

16/06- Especial POESIA NO BAR
Pub Club Comercial (Félix da Cunha, 663), às 19 h.
Presença de vários poetas da região.
Música: Celso Krause, Zé Ricardo e Popó.

16, 17 e 18/06 – Oficina de ANÁLISE E ESCRITA DE LETRA DE MÚSICA, com Richard Serraria
Sindicato dos Bancários (Tiradentes, 3087), das 17h às 20h – no sábado: das 14 h às 17h.

25.06 – CineClube
Sindicato dos Bancários (Tiradentes, 3087), às 18 h.
Mostra de curtas e documentários de produção pelotense.

Saiba Mais AQUI

Figueira, espécie protegida por lei, condenada a morte, por transplante inadequado, na Av. Republica, proximo a um supermercado, em Pelotas/RS, 2006. Foto: Antonio Soler / CEA

Pelotas não tem uma gestão adequada de sua deficitária arborização urbana, com cortes indevidos e transplantes sem sucesso. Em contrasenso, apresenta, fruto da luta ecológica, uma das mais avançadas leis de proteção da arborização urbana dos municipios brasileiros. Falta aplicação.

O Conselho Municipal de Proteção Ambiental (COMPAM), órgão máximo da política ambiental municipal, realiza sua 1ª reunião extraordinária, hoje (09/05/2011), as 14hs, na Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA), de Pelotas/RS, com a seguinte pauta:

1)    Verificação de quorum;
2)    Aprovação de justificativa;
3)    Aprovação de ata;
4)    Informes;
5)    Processos do CTPPDA, sobre podas, transplantes e erradicações:
200.030887/2009 – Gilberto Macedo
200.013457/2010 – Paulo Renato Silva da Silveira
200.009303/2011 – Terezinha Maria Peter
200.004448/2011 – Maristela Letcow Silva
200.031249/2009 – Marta Rosane Tavares
200.011523/2011 – João Luis Casarim
200.005159/2011 – Brunilda Maria Jahnecke
200.027647/2009 – Airton P. Carret
200.011148/2011 – UFPEL (arquiteto Serafim Pinho Dias)
200.021416/2009 – Pedro Rheingantz

6)Assuntos gerais
 *Aprovação Junho Ambiental
*Cursos:
– III EDEA, na FURG/Rio Grande, nos dias 11 a 14 de maio;
– Curso FAMURS Secretário e Agentes Fiscais da SQA, nos dias 14 e 15 de maio.

Zonas Úmidas da Laguna dos Patos /RS Foto: Cintia Barenho / CEA

O Comitê Nacional de Zonas Úmidas (CNZU) realiza sua 8a Reunião Ordinária amanhã (15.04), em Brasília, no Ministério do Meio Ambiente (MMA), com a seguinte pauta:

Manhã– 15 de abril (sexta-feira)

09:00h – Abertura – Ana Paula Leite Prates

09:15h – Comunicações, notícias e atualizações

10:15h – Apresentação das ações junto aos gestores do Sítios Ramsar – Maria Raquel de Carvalho – GBA/MMA

11:15h – Apresentação de Projeto premiado na comemoração dos 40 anos da Convenção de Ramsar  – Ellen Amaral – RDS Mamirauá

12:15h – intervalo

Tarde– 15 de abril (sexta-feira)

14:00h – Larissa Costa – MRE

15:00h – Apresentação e Discussão sobre National Report

16:00h – Notícias do Parcel Manuel Luis

16:30h – Encaminhamentos finais

17:00h – Encerramento

O CNZU é um colegiado previsto no sistema de proteção de banhados demais zonas úmidas, previstos na Convenção de Ramsar.

O CEA, que desenvolve diversas ações pela proteção dos banhados da zona costeira do RS, representa o Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (FBOMS) no CNZU, através do prof. de Direito Ambiental, Antonio Soler.

por Leandro Karam

A foto abaixo acima representa uma raridade em Pelotas. Alguns podem interpelar com o seguinte argumento: “mas em Pelotas o que mais tem é gente que anda de bicicleta”!!! Pois bem, corretíssimo. A cidade de Pelotas conta com mais de 20 mil usuários de bicicleta e apresenta uma topografia totalmente favorável esta prática de forma confortável e eficiente, além de ser positiva para a qualidade de vida da população, por ser ecológica, saudável, silenciosa, não ocupar tanto espaço quanto os automóveis e outras tantas.

O que causa espanto, considerando as condições acima citadas, é a falta (ou quase ausencia) de um projeto cicloviário eficiente que contemple estes ciclistas e contribua para sua mobilidade de forma segura.
Os órgãos de gestão pública deveria conduzir suas atividades para as pessoas. É até estranho que esta afirmação tão evidente não seja vista na prática da mesma evidente maneira, visto um contingente tão significativo de usuários deste tipo de veículo.
Conhecendo um pouco Pelotas através do uso da bicicleta, o que permite muito maior observação e apoderamento de argumentos, percebemos que algumas das única ciclofaixas que existem em conformidade com a legislação é esta ciclofaixa da Av. Adolfo Fetter (foto acima) e da R. Andrade Neves, onde é “rotina” encontrar automóveis estacionados nestes locais nos horários em que isso não é permitido (no caso da R. Andrade Neves). Um dos problemas que encontramos é poder chegar até elas com segurança.
Podemos visualizar a ausência de conexão entre as vias para ciclistas.
Fonte: http://www.ufpel.edu.br/cic/2008/cd/pages/pdf/SA/SA_00073.pdf 

 

Outra via feita para ciclistas está na Av. Dom Joaquim. No entanto há dúvidas de que quem a projetou não é um dos mais de 20 mil usuários de bicicleta ou não buscava o conforto e segurança desta significativa parcela da população. Pois, além de estreita demais, não possui sinalização adequada às normas da legislação.
Algumas informações sobre o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) seguem abaixo:
CICLOFAIXA – parte da pista de rolamento destinada à circulação exclusiva de ciclos, delimitada por sinalização específica.
CICLOVIA – pista própria destinada à circulação de ciclos, separada fisicamente do tráfego comum.
PASSEIO – parte da calçada ou da pista de rolamento, neste último caso, separada por pintura ou elemento físico separador, livre de interferências, destinada à circulação exclusiva de pedestres e, excepcionalmente, de ciclistas.

Alguns artigos relacionados ao uso da bicicleta

  • CAPÍTULO II – DO SISTEMA NACIONAL DE TRÂNSITO
    • Art. 21
      • Compete aos órgãos e entidades executivos rodoviários da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição:
      • II – planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos, de pedestres e de animais, e promover o desenvolvimento da circulação e da segurança de ciclistas;
    • Art. 24
      • Compete aos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição:
      • II – planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos, de pedestres e de animais, e promover o desenvolvimento da circulação e da segurança de ciclistas:
  • CAPÍTULO III – DAS NORMAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO E CONDUTA
    • Art. 29
      • O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:
        • § 2º Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres.
    • Art. 58:
      • Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos das pista de rolamento, no mesmo sentido da circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

Podemos perceber que esta realidade que convivemos não se dá por falta de Leis apropriadas, pois as temos e elas foram elaboradas até mesmo de forma EXEMPLAR!!!!

Só depende de vontade!!! Continuemos cada um buscando fazer a sua parte, sempre!!!

Ontem em Pelotas centenas de pessoas reuniram-se para pedalar pela paz no Trâsito, pelo direito de ir e vir dos ciclistas, por mais ciclovias/ciclofaixas.

Para nós do CEA a política de mobilidade urbana deve atender de fato as diferentes formas possíveis, preferencialmente sustentáveis, de mobilidade. Mas o que vemos é uma priorização dos automóveis sobre o transporte coletivo, sobre as bicicletas e até mesmo sobre os pedestres…Alguém tem visto faixas de segurança nas ruas de pelotas?

Mais fotos AQUI

midialivre

arte2

BannerForum120x240

codigoflorestal22

Assine e receba as atualizações do Blog do CEA por email. Basta clicar no link acima, ao abrir uma janela, coloque seu email, digite o código que aparece e confirme. Será enviado um email solicitando sua confirmação. Obrigad@.

Frase

“De tanto postergar o essencial em nome da urgência, termina-se por esquecer a urgência do essencial.” Hadj Garm'Orin

Apresentação

O Centro de Estudos Ambientais (CEA) é a primeira ONG ecológica da região sul, constituída em Rio Grande/RS/Brasil, em julho de 1983.

Nos siga no Twitter

Acessos desde 04/11/08

  • 1.197.515 Visitas

Campanhas e Parcerias

Flickr PIT 531 - Logotipo Pedal Curticeira - Pedal Curticeira2 um-carro-a-menos_outra2 Flickr

Flickr

Flickr

Visitantes on-line

Países Visitantes

free counters

Pesquise por Temas

Direito à Informação Ambiental

As publicações elaboradas e publicadas pelo CEA, bem como suas fotos são de livre reprodução, desde que não haja fins econômicos, que sejamos informados através do mail ongcea@gmail.com e com expressa citação da fonte nos termos a seguir: Fonte: Blog do Centro de Estudos Ambientais (CEA).
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: