You are currently browsing the tag archive for the ‘pedal curticeira’ tag.

Oguener Tissot (Academia de Remo Tissot) e Leandro Karam (Pedal Curticeira) apresentaram as propostas do programa enLACES.

O último sábado (29/set) foi realmente um dia especial. Apesar da forte e repentina chuva no início da tarde, não impediu que aproximadamente 100 pessoas marcassem presença na Sede Aníbal Vidal (antiga sede do Clube Centro Português), no Recanto de Portugal, para conhecerem mais sobre um dos programas mais “transversais” da região sul do estado em relação à práticas físicas, esportivas, culturais e de meio ambiente.

Trata-se do “enLACES”, isto é, do “Laboratório Cultural e Esportivo de Sustentabilidade“.

o Programa enLACES traz uma proposta de integração de múltiplas linguagens e expressões dentro de um mesmo espaço (Clube Centro Português – Sede Aníbal Vidal), com o propósito de difundir atividades cada vez mais emergentes e que ainda não são compreendidas em sua essência pela grande população. Estamos falando de práticas como a Bioconstrução, Permacultura, Massoterapia, Do-in, Pilates, Método De Rose, Expressão Corporal, música, arte, Canoagem e diversas outras formas de nutrir a alma com vida e em equilíbrio e contato direto com a natureza.

São muitos grupos que praticam muitas atividades de forma isolada. Queremos difundir estas práticas e orientar aqueles que desejam ter uma vida saudável e precisam de um “empurrãozinho”.

Fruto da parceria entre Pedal Curticeira,Academia de Remo Tissot e Clube Centro Português, o enLACES é um espaço estratégico para a geração e troca de múltiplos saberes. Através da centralização de atividades ambientais, culturais, físicas e esportivas, este programa representa um mecanismo para a ampliação da consciência coletiva e releitura de concepções tradicionais acerca da vida e do universo.

Já superamos a era das grandes corporações e o momento agora é de envolver diversos grupos que compartilhem de uma visão integrada de futuro, voltada para práticas de sustentabilidade em meio urbano, pois sabemos que a raiz dos conflitos ambientais começa nas cidades.

Convidamos todos os interessados a sair da zona de conforto, pegar sua bike e vir conhecer o LACES. Assim estaremos nos integrando à rede mundial de pessoas que se preocupam cada vez mais com sua própria qualidade de vida e que pra isso estão dispostos a rever seus conceitos, suas atitudes e o próprio sentido da existência humana.

Fotografia são olhares emprestados para sensibilizar.

Texto: Leandro Karam – Fotos: Rastro Selvagem e Sotaque Coletivo.

Anúncios

A luta continua… é permanente!!!!!

Em razão de estarmos iniciando a SEMANA NACIONAL DO TRÂNSITO, o Grupo Pedal Curticeira, em parceira com o Movimento dos Usuários de Bicicleta de Pelotas (MUBPel) e SEST/SENAT, está realizando algumas ações que buscam atrair a atenção da população para a HUMANIZAÇÃO do TRÂNSITO.
O objetivo é que se promova o respeito e o compartilhamento das ruas entre veículos motorizados e não-motorizados, que se privilegie o TRANSPORTE de PESSOAS e o USO RACIONAL do AUTOMÓVEL, que tem se mostrado PROTAGONISTA de um verdadeiro CAOS URBANO.
O aumento do uso da bicicleta SEMPRE que POSSÍVEL, potencializa uma mudança de cidade, de comportamento e, consequentemente, de QUALIDADE de VIDA para AS PESSOAS. Com o uso da BIKE se troca a poluição atmosfera e sonora, problemas respiratórios, engarrafamentos, acidentes de trânsito por SAÚDE INDIVIDUAL & COLETIVA.

TERÇA-FEIRA (20/set)

  • Distribuição de mudas de árvores nativas nos seguintes locais e atividades conjuntas:
    • Avenida Bento Gonçalves: a partir das 9h. TODOS  convidados a ir lá tomar uns mates;
    • Laranjal (defronte o trapiche): a partir das 15h, com pedalada que partirá do centro.
  • Pedalada ao Laranjal: Partida as 14:15h (concentração às 14h) da Pça. Cel. Pedro Osório.

QUARTA-FEIRA (21/set)

  • Mesa Redonda” com o tema “MOBILIDADE URBANA NÃO MOTORIZADA” as 14h no auditório do SEST/SENAT (Avenida Engenheiro Ildefonso Simões Lopes, n° 1.206, Três Vendas), cujo objetivo é apresentar o contexto atual da mobilidade em Pelotas, problematizá-lo e levantar possibilidades de “ações piloto” para uma mudança de comportamento social que sejam viáveis e eficientes;

QUINTA-FEIRA (22/SET)

DIA MUNDIAL SEM O AUTOMÓVEL
  • Inauguração Bicicletário Campus Porto – UFPel (9h).
  • Implantação de CICLOFAIXAS e : demarcadas por cones em ruas de acesso do Bairro 3 Vendas ao Centro.
  • SINALIZAÇÃO de COMPARTILHAMENTO DAS VIAS: implantação de placas que sinalizem a necessidade de compartilhamento das vias públicas entre veículos motorizados e bicicletas.
  • Distribuição de Mudas Nativas na Pça. Cel. Pedro Osório (das 16 às 18:30)
  • BICICLETADAS:
    • 1ª Bicicletada (16h): Partida do LARGO VERNETTI com destino ao Campus Porto – Organização MUBPel;
    • 2ª Bicicletada (19h): Partida da Pça. Cel. Pedro Osório e passeio pelos principais ruas da cidade Organização Pedal Curticeira;

SÁBADO – 24/set

Pedal Temático (manhã e tarde): aguarde novas informações…

 Bora bicicletear!!!

Fonte: http://www.pedalcurticeira.com.br/2011/09/19/semana-nacional-do-transito-programacao-curticeira/

por Leandro Karam

A foto abaixo acima representa uma raridade em Pelotas. Alguns podem interpelar com o seguinte argumento: “mas em Pelotas o que mais tem é gente que anda de bicicleta”!!! Pois bem, corretíssimo. A cidade de Pelotas conta com mais de 20 mil usuários de bicicleta e apresenta uma topografia totalmente favorável esta prática de forma confortável e eficiente, além de ser positiva para a qualidade de vida da população, por ser ecológica, saudável, silenciosa, não ocupar tanto espaço quanto os automóveis e outras tantas.

O que causa espanto, considerando as condições acima citadas, é a falta (ou quase ausencia) de um projeto cicloviário eficiente que contemple estes ciclistas e contribua para sua mobilidade de forma segura.
Os órgãos de gestão pública deveria conduzir suas atividades para as pessoas. É até estranho que esta afirmação tão evidente não seja vista na prática da mesma evidente maneira, visto um contingente tão significativo de usuários deste tipo de veículo.
Conhecendo um pouco Pelotas através do uso da bicicleta, o que permite muito maior observação e apoderamento de argumentos, percebemos que algumas das única ciclofaixas que existem em conformidade com a legislação é esta ciclofaixa da Av. Adolfo Fetter (foto acima) e da R. Andrade Neves, onde é “rotina” encontrar automóveis estacionados nestes locais nos horários em que isso não é permitido (no caso da R. Andrade Neves). Um dos problemas que encontramos é poder chegar até elas com segurança.
Podemos visualizar a ausência de conexão entre as vias para ciclistas.
Fonte: http://www.ufpel.edu.br/cic/2008/cd/pages/pdf/SA/SA_00073.pdf 

 

Outra via feita para ciclistas está na Av. Dom Joaquim. No entanto há dúvidas de que quem a projetou não é um dos mais de 20 mil usuários de bicicleta ou não buscava o conforto e segurança desta significativa parcela da população. Pois, além de estreita demais, não possui sinalização adequada às normas da legislação.
Algumas informações sobre o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) seguem abaixo:
CICLOFAIXA – parte da pista de rolamento destinada à circulação exclusiva de ciclos, delimitada por sinalização específica.
CICLOVIA – pista própria destinada à circulação de ciclos, separada fisicamente do tráfego comum.
PASSEIO – parte da calçada ou da pista de rolamento, neste último caso, separada por pintura ou elemento físico separador, livre de interferências, destinada à circulação exclusiva de pedestres e, excepcionalmente, de ciclistas.

Alguns artigos relacionados ao uso da bicicleta

  • CAPÍTULO II – DO SISTEMA NACIONAL DE TRÂNSITO
    • Art. 21
      • Compete aos órgãos e entidades executivos rodoviários da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição:
      • II – planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos, de pedestres e de animais, e promover o desenvolvimento da circulação e da segurança de ciclistas;
    • Art. 24
      • Compete aos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição:
      • II – planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos, de pedestres e de animais, e promover o desenvolvimento da circulação e da segurança de ciclistas:
  • CAPÍTULO III – DAS NORMAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO E CONDUTA
    • Art. 29
      • O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:
        • § 2º Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres.
    • Art. 58:
      • Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos das pista de rolamento, no mesmo sentido da circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

Podemos perceber que esta realidade que convivemos não se dá por falta de Leis apropriadas, pois as temos e elas foram elaboradas até mesmo de forma EXEMPLAR!!!!

Só depende de vontade!!! Continuemos cada um buscando fazer a sua parte, sempre!!!

Divulgando uma iniciativa muito legal que vem ocorrendo em Pelotas/RS, o Pedal Curticeira. As ações são mobilizadas pelo biólogo Leandro Karam, que colaborou com o CEA especialmente quando a execução do projeto Construindo a Agenda XXI de Pelotas. Na época, para além das ações da Agenda XXI, também organizávamos ações envolvendo o ciclismo, a  discussão da mobilidade urbana, das ciclovias e a palava de ordem era Pedalar para Preservar…

PEDAL CURTICEIRA: sustentabilidade em duas rodas

Boas idéias produzem ressonância quando são compartilhadas e acompanhadas de atitudes. Essa pode ser uma das formas de definir o grupo PEDAL CURTICEIRA, um grupo de simpatizantes da bike que encontram sobre duas rodas formas diferentes de integrar pessoas em prol de ações sustentáveis socioambientalmente. Neste sentido, foi realizado no último sábado, 13 de novembro, a inauguração oficial do grupo em Pelotas, quando cerca de 40 ciclistas, sob a coordenação do biólogo e músico Leandro Karam, fizeram uma pedalada da Pça. Cel. Pedro Osório (centro) até o Laranjal, onde realizaram o plantio de diversas mudas de árvores nativas ao lado de um de seus trevos de acesso.

Entre piriquiteiras, pitangueiras, cerejeiras, tarumãs, açoita-cavalos, guabirobas e outras espécies nativas, os ciclistas e membros do grupo PEDAL CURTICEIRA puderam experimentar na prática a sensação de botar a mão na terra e plantar, ato jamais realizado por muitos dos “pedaleiros”. Além disso, a presença de outros profissionais da área, como os agrônomos Tiago Camelato, Fabiano Simões e Rafael Porto deram maior qualificação técnica ao ato simbólico, ao prestar preciosos esclarescimentos sobre técnicas adequadas de plantio, ecologia das espécies plantadas e as precauções que devemos tomar ao escolher as espécies de acordo com o local que se deseja plantar, observando seu arredor, exposição solar, presença de fiação elétrica, proximidade de edificações, etc.

Este plantio simboliza o início das atividades do grupo que se iniciou no dia 5 de outubro de 2010 com apenas 5 participantes e, em pouco mais de um mês, já agregou algo em torno de 80 ciclistas em suas pedaladas semanais que acontecem todas as terças-feiras (20h – nivel iniciante), quintas feiras (20h – nível médio) e sábados (16h – nível iniciante com percurso extendido).

Dentre outras ações de cunho sustentável do grupo, além da divulgação da biodiversidade local é o incentivo à população ao utilizar mais a bicicleta como meio de transporte e controlando mais o uso de automóveis, contribuindo assim para o melhoramento do fluxo no trânsito, melhoria da qualidade do ar e diminuição da popuição visual e auditiva gerada pelo excesso de de ruídos e poluentes liberados pelos canos de descarga.

Outro benefício que o grupo proporciona de forma direta é a prática do cicloturismo, onde os ciclistas têm oportunidade de conhecer localidades de Pelotas e região que são efetivamente pouco conhecidas pela maioria da população, fomentando assim uma espécie de “cicloecoturismo”, onde os ciclistas têm acesso direto aos locais visitados e acabam recebendo informações sobre sua história.

Além do cicloturismo o projeto PEDAL CURTICEIRA também propõe atividades de educação ambiental como palestras sobre os benefícios do uso da bicicleta para a sociedade e ao ambiente, propõe a formação de parcerias que contribuam de diferentes formas suas atividades, visitar locais que desenvolvam práticas sustentáveis (permacultura, ecovilas, cidades sustentáveis, energias renováveis, consumo consciente), proporcionar experiências mais íntimas entre as pessoas e a natureza como forma de sensibilizar quanto a importância de uma consciência ambiental que norteie nossas atitudes cotidianas e produzir e divulgar conteúdos com foco na sustentabilidade, ecologia, cicloturismo e cultura, na forma de artigos, fotos, vídeos, etc.

Para obter maiores informações basta acessar o blog AVENTURAS & DESVENTURAS, cujo link é http://leandropedal.blogspot.com ou entrar em contato através do email leandro.karam@gmail.com. Faça parte desta curticeira!!!

midialivre

arte2

BannerForum120x240

codigoflorestal22

Assine e receba as atualizações do Blog do CEA por email. Basta clicar no link acima, ao abrir uma janela, coloque seu email, digite o código que aparece e confirme. Será enviado um email solicitando sua confirmação. Obrigad@.

Frase

“De tanto postergar o essencial em nome da urgência, termina-se por esquecer a urgência do essencial.” Hadj Garm'Orin

Apresentação

O Centro de Estudos Ambientais (CEA) é a primeira ONG ecológica da região sul, constituída em Rio Grande/RS/Brasil, em julho de 1983.

Nos siga no Twitter

Acessos desde 04/11/08

  • 1.197.513 Visitas

Campanhas e Parcerias

Flickr PIT 531 - Logotipo Pedal Curticeira - Pedal Curticeira2 um-carro-a-menos_outra2 Flickr

Flickr

Flickr

Visitantes on-line

Países Visitantes

free counters

Pesquise por Temas

Direito à Informação Ambiental

As publicações elaboradas e publicadas pelo CEA, bem como suas fotos são de livre reprodução, desde que não haja fins econômicos, que sejamos informados através do mail ongcea@gmail.com e com expressa citação da fonte nos termos a seguir: Fonte: Blog do Centro de Estudos Ambientais (CEA).
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: