You are currently browsing the tag archive for the ‘cartum’ tag.

Charge de Santiago

Desde que começamos o blog, há 4 anos atrás, recorremos aos cartunistas gaúchos, especialmente à Grafar ( Grafistas Associados do Rio Grande do Sul) para ilustrarmos nossos posts com seus cartuns/charges/caricaturas/HQs.

Por isso que no próximo dia 17 de dezembro, dia dedicado ao Pampa (e também aniversário de Lutzenberger), estaremos promovendo uma Exposição Virtual de “riscos-rabiscos” já publicados, por nossos cartunistas, e que são ilustrativos dos riscos eminentes (desertos verdes, queimadas…) e das belezas do Pampa. Qualquer dia desses ainda bancaremos uma exposição inédita.

Aguardem!!

Anúncios

ATUALIZADO COM AS CHARGES/CARTUNS

por Cíntia Barenho

O papo aconteceu ontem, 28/11, com intuito de fornecer os fatos básicos sobre assuntos que estão na ordem do dia de quem faz charge, cartum, caricatura e HQ. Segundo os organizadores: “Quem acompanha o humor gráfico publicado no país observa que muitos chargistas e cartunistas simplesmente tratam de certos temas e personagens sem conhecê-los, com resultados medíocres ou equivocados, desinformando e surpreendendo (negativamente) os leitores. Têm opinião, o que é legítimo, mas não têm conhecimento, o que é desastroso.

Nesse sentido, a Grafar – Grafistas Associados do Rio Grande do Sul –  que já tem 25 anos organização, procura colaborar na formação dos artistas gráficos.

O primeiro papo proposto, tratou da questão dos TRANSGÊNICOS, com grafariano VECENTE, profissional do ramo da agronomia e cartunista, mediando o papo.

Transgênicos: “Você Sabe do Quê Está Falando?”

Desde o final dos anos 70 estuda-se os transgênicos (Organismos Geneticamente Modificados-OGM). Nos anos 80, nos EUA, já haviam plantas transgênicas. Já em 1994 houve a primeira liberação comercial de transgênicos, com o tomate.

No RS o início dos transgênicos se dá por 1997, com a entrada da soja transgênica pela Argentina, conhecida por soja maradona. Mesmo entrando ilegalmente no país e mesmo com toda a luta das entidades ecologistas, em 2005 o governo sancionou a lei de biossegurança, legalizando o que era ilegal até então.

Hoje estima-se que 99% das lavouras de soja no RS sejam transgênicas. Ou seja, já são 4 milhões de hectares de transgênicos. Já no Brasil a conta é de 82%. Além disso, o custo de royalties, para cada lavoura, é 3% para as empresas multinacionais. Mesmo sabendo que a tecnologia tem “dono” há uma batalha judicial para não pagamento dos royalties.

Os trabalhos gráficos selecionados mostram mensagens equivocadas sobre os transgênicos, de defesa do uso dos transgênicos, que ironizam os efeitos colaterais. Tratam muitas vezes como um “mito do Frankenstein”, no qual problematizam o poder da ciência e o receio das consequências de tal poder.

Infelizmente muitas das charges tratam de forma ambígua e equivocado o assunto dos transgênicos. Muitas vezes reforçando o mito que os transgênicos iriam resolver o problema da fome e da miséria.

Poucos problematizam a hipocrisia da indústria agrícola, que “vendeu” a ideia de que os transgênicos resolveriam o problema da fome mundial e do uso dos agrotóxicos.  A indústria dos transgênicos nunca buscou mudar o modelo de produção e exploração agrícola. Os transgênicos vieram para manter o modelo de produção, contribuir para a extração da mais valia capitalista neo-liberal, trazendo maior endividamentos aos produtores rurais e uma maior dependência aos pacotes tecnológicos vendidos por empresas multinacionais, e, infelizmente incentivados pelo poder público, pela assistência técnica, pelas universidades. E mais, trouxe um maior e intenso uso dos agrotóxicos, agora desenvolvidos especialmente para cada tipo de semente transgênica.

Assim, reforçam um modelo de produção e consumo conveniente não para a saúde ou para a preservação/conservação ambiental, mas sim conveniente ao enriquecimento ilícito de meia dúzia de empresas transnacionais transgênicas.

Ciclo de palestras ilustradas da Grafar

Bar Tutti Giorni

Transgênicos (história, evolução, controvérsias).

Expositor: Vecente

Organização: Guilherme Moojen e Edgar Vasques

… mas esse discurso enganoso não é só para Brasil, não!!

Acontece nesta sexta-feira, 26 de Outubro, em Porto Alegre, no Bar Parangolé ( Rua Lima e Silva, 240), a partir das 20h30, a abertura da exposição “Caixa Viva” do cartunista e ilustrador Wagner Passos. A exposição reúne uma série de desenhos produzidos em caixas de produto que deveriam ter sido descartadas, mas que tomaram outro rumo nas mãos do desenhista, conforme o texto que abre a exposição:
“Era uma vez uma embalagem que não queria ser jogada fora no lixo. Clamava por vida, por continuar presente, existindo, resistindo, sendo mais do que uma simples caixa de papelão descartada depois de aberta, depois que o perfume acaba, que a comida acaba, depois que termina o seu sentido de armazenar algum produto.. E foi assim que algumas foram sobrevivendo, sendo a própria caixa a inspiração para o desenho que recebera. É a caixa quem diz: “Quero ser uma flor!”, “Quero ser uma paisagem!”. E assim elas continuam sua existência, de não mais uma simples embalagem…
Talvez não tenha sido essa a intenção, quando em uma noite chuvosa de inverno abri uma caixa vazia, apaguei a luz e da janela do meu estúdio, esbocei o que acontecia naquele momento em minha rua. Identifiquei-me na tortuosidade com aquele pedaço de papel que não correspondia ao tamanho A4, não era retangular, nem quadrado, era algo sem muito sentido, com vários cantos, vários espaços escondidos. E na tentativa de ser livre como a caixa, que se liberta de seu destino de ser lixo, é que acontecem os desenhos. ão importa o que representará, apenas que o seu sentido mudou.
Wagner Passos nasceu na Cidade do Rio Grande, no Rio Grande do Sul. É cartunista e ilustra também livros infantis, além de trabalhar com animação e quadrinhos. Atualmente é mestrando do Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande – FURG, para o qual produziu a 1ª Mostra Internacional de Humor sobre Educação Ambiental, reunindo o trabalho de 142 cartunistas de 38 países. Atua como editor do JornalECO, publicação do Observatório dos Conflitos Urbanos e Sócioambientais do Extremo-Sul do Brasil. Mora na Praia do Cassino, onde contempla o vento, os navios e as ressacas de um mar livre, apesar das correntes.
Saiba mais no blog wagnerpassosblog.blogspot.com

A mostra pretende receber cartuns de artistas do mundo inteiro com temas sobre sustentabilidade, mobilidade urbana, saúde, preservação da natureza, agroecologia, reciclagem, justiça social, diversidade, entre outros ligados a Educação Ambiental.

O envio dos trabalhos será realizado pela internet e todos os participantes terão seus cartuns apresentados no blog do evento, serão selecionados 100 cartuns que farão parte da exposição oficial que ocorrerá no saguão do anfiteatro do CIDEC-Sul – Centro Integrado de Desenvolvimento do Ecossistema Costeiro e Oceânico, no Campus Carreiros da Universidade Federal do Rio Grande – FURG, na cidade do Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil.
Os três primeiros colocados serão premiados com livros de Humor Gráfico e Educação Ambiental, troféus e demais itens que poderão ser agregados a premiação. Além de 5 menções honrosas que receberão certificados como destaque.
Todos os participantes receberão certificado de participação.
O objetivo da mostra é o de proporcionar um espaço de debate sobre Educação Ambiental, através do Humor Gráfico entre professores, estudantes, pesquisadores, cartunistas e comunidade.
O regulamento completo encontra-se no endereço: http://cpeasul.blogspot.com.br/p/1-mostra-internacional-de-humor-sobre.html

Comissão de Saúde e Meio Ambiente promove exposição “Natureza em risco: A questão ambiental segundo os Cartunistas Gaúchos” em parceria com a Grafar.

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente promove, de 4 a 8 de junho, a exposição “Natureza em risco: A questão ambiental segundo os Cartunistas Gaúchos” em parceria com a Grafar – Grafistas Associados do RS.

Após 20 anos da Cúpula da Terra (Eco-92), vivemos num planeta em que, infelizmente, se aprofunda a crise ecológica, social e financeira, para tanto, nesse período que antecede a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), buscamos com os cartunistas gaúchos problematizar, de forma bem humorada, a questão socioambiental em nosso estado.

A Grafar é uma associação aberta a cartunistas, chargistas, caricaturistas, ilustradores e quadrinistas gaúchos. Nessa exposição participam os cartunistas Edgar Vasques, Eugênio Neves, Jô, Juska, Kayser, Moa, Rafael, Ronaldo, Santiago, Tonho, Uberti e Vilanova.

A exposição integra a Semana Estadual do Meio Ambiente, promovida pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA-RS) em parceria com a CSMA-AL e demais entidades gaúchas.

A abertura da exposição ocorre dia 4/06 às 18:30 na Assembleia Legislativa do RS.

O que: Exposição “Natureza em risco: A questão ambiental segundo os Cartunistas Gaúchos”

Onde: Galeria dos Municípios (Assembleia Legislativa  Praça Marechal Deodoro, 101, Porto Alegre-RS)

Quando: de 4 a 8/06/ 2012

Esclarecimentos sobre os 50 anos da Mafalda, que na verdade serão em 2014.

Mafalda cumple años en 2014

El día de su primera publicación fue el 29 de septiembre de 1964 en la revista Primera Plana. Para Quino es el día del nacimiento de Mafalda como personaje de historieta.

Cualquier otro cálculo de cumpleaños es incorrecto.

El mal entendido se debe a que en una tira del propio Quino publicada (el 15 de marzo de 1966 ) en el diario El Mundo habría nacido en 1960 y a que en la biografía publicada (el 2 de junio de 1968) en la revista Siete Días dice que nació “en la vida real” el 15 de marzo del 62. Ni una ni otra fecha son de tener en cuenta

Pensar en una cronología para un personaje de historieta es difícil, Mafalda sigue siendo niña y siempre será así, por eso Quino considera que el día de cumpleaños de Mafalda es el día de su primera publicación en medios gráficos, 29 de septiembre de 1964.

Festejaremos dentro de dos años.

Fonte: http://www.quino.com.ar/noticias-quino-mafalda-cumple.html

https://i2.wp.com/parabuenosaires.com/wp-content/uploads/2012/03/paren-e-mundo-me-quieor-bajar.jpg“En la vida real yo nací el 15 de marzo de 1962”, dijo Mafalda en una carta de presentación. En ese año al escritor argentino Joaquín Lavado “Quino” le propusieron ilustrar una campaña publicitaria para un electrodoméstico. La agencia quería una tira con ciertas características: Típica familia media y con un personaje que tuviera en el nombre dos letras: M y A. Medio siglo ha transcurrido desde el momento en que Quino bautiza con el nombre de Mafalda a la niña de esta familia y le da el papel de “enfant terrible”.

Si bien el proyecto publicitario no llega a realizarse, Quino conserva las tiras y las primeras se publican en 1964 en el suplemento de la revista “Leoplán”. Pasados algunos meses se vuelve éxito rotundo. Mafalda se convierte en celebridad y en ícono de la infancia. “espejo de la clase media latinoamericana y de la juventud progresista”. Representa a una pequeña preocupada por la humanidad y la paz mundial, que se rebela contra la manera en que es la sociedad. En medio de su condición infantil manifiesta una actitud crítica, rebelde e irreverente.

Su comida preferida son los panqueques, que le gustan tanto que es capaz de comer sopa —plato que odia— para poder comer este postre. Tiene de mascota una tortuga llamada “Democracia”, bautizada así por la lentitud que tiene para todo. Entre sus amiguitos se cuentan a Felipe, Manolito, Susana y Miguelito, además de su hermano Guille y la pequeña Libertad. En estos 50 años, el entrañable personaje de Quino ha dejado frases que primero hacen sonreír, y luego nos dejan pensando. Estas son algunas que hacen parte de esa brillante inocencia de niños.

– “No es cierto que todo tiempo pasado fue mejor. Lo que pasaba era que los que estaban peor todavía no se habían dado cuenta…”

– “¿Por dónde hay que empujar este país para llevarlo adelante?”

– “El drama de ser presidente es que si uno se pone a resolver los problemas de estado no le queda tiempo para gobernar”

– “¿No será acaso que ésta vida moderna está teniendo más de moderna que de vida?”

-“¡Paren el mundo, me quiero bajar!”,

– “Dicen que el hombre es un animal de costumbres, más bien de costumbre el hombre es un animal.”

– “Como siempre: lo urgente no deja tiempo para lo Importante.”

– “¿Y no será que en este mundo hay cada vez más gente y menos personas?”

– “¡La sopa es a la niñez lo que el comunismo es a la democracia!”

– “Y estos derechos… a respetarlos, ¿eh? ¡No vaya a pasar como con los diez mandamientos!”

– “La vida es linda, lo malo es que muchos confunden lindo con fácil”

-“La vida no debiera echarlo a uno de la niñez, sin antes conseguirle un buen puesto en la juventud.”

-“Comienza tu día con una sonrisa, verás lo divertido que es ir por ahí desentonando con todo el mundo.”

Esa es Mafalda, una nena humilde y comprometida, famosa en el mundo por la gracia de sus preguntas, la inocencia de su mundo y la altura de sus ideales.

Apostilla: Con motivo de sus 50 años, Miguelito desde algún lado del mundo le escribe a Mafalda esta maravillosa, nostálgica y sentida carta:

Fonte: http://www.elliberal.com.co/liberal/opinion/columnistas/video-108800-mafalda-50-anos

Leia mais: Mafalda, cumple años

Acesse o blog http://toda-mafalda.blogspot.com para conhecer mais desta engajada guria

"A história da tecnologia. Homem 1: - Não tô feliz. Homem 2: - Ainda Não tô feliz".

"A história da tecnologia. Homem 1: - Não tô feliz. Homem 2: - Ainda Não tô feliz".

http://catalogodeindisciplinas.files.wordpress.com/2011/03/animal-test-singer_.gif

"Onde uma pessoa socialmente consciente pode comprar gasolina?"

"Onde uma pessoa socialmente consciente pode comprar gasolina?"

"Pra tudo tem uma sacola de plástico".

"Pra tudo tem uma sacola de plástico".

midialivre

arte2

BannerForum120x240

codigoflorestal22

Assine e receba as atualizações do Blog do CEA por email. Basta clicar no link acima, ao abrir uma janela, coloque seu email, digite o código que aparece e confirme. Será enviado um email solicitando sua confirmação. Obrigad@.

Frase

“De tanto postergar o essencial em nome da urgência, termina-se por esquecer a urgência do essencial.” Hadj Garm'Orin

Apresentação

O Centro de Estudos Ambientais (CEA) é a primeira ONG ecológica da região sul, constituída em Rio Grande/RS/Brasil, em julho de 1983.

Nos siga no Twitter

Acessos desde 04/11/08

  • 1.197.515 Visitas

Campanhas e Parcerias

Flickr PIT 531 - Logotipo Pedal Curticeira - Pedal Curticeira2 um-carro-a-menos_outra2 Flickr

Flickr

Flickr

Visitantes on-line

Países Visitantes

free counters

Pesquise por Temas

Direito à Informação Ambiental

As publicações elaboradas e publicadas pelo CEA, bem como suas fotos são de livre reprodução, desde que não haja fins econômicos, que sejamos informados através do mail ongcea@gmail.com e com expressa citação da fonte nos termos a seguir: Fonte: Blog do Centro de Estudos Ambientais (CEA).
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: