O ano de 2011 foi um ano de “extremos” nos padrões do clima mundial, em que se registraram severas inundações na Tailândia, houve uma intensa seca na África e uma onda de calor atingiu a Europa, apontou, hoje, a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos Estados Unidos.
A reportagem está publicada no sítio La Vanguardia, 11-07-2012. A tradução é do Cepat.

No ano passado, as temperaturas globais foram menores na média do que em 2010, em grande parte devido ao fenômeno “La Niña”, durante o qual ficam na superfície as águas profundas mais frias do Pacífico equatorial, segundo o estudo do NOAA, publicado na terça-feira.

No entanto, 2011 foi mais quente do que o esperado e faz parte de um dos 15 anos com as temperaturas mais altas, desde que começaram os registros metereológicos.

“Claramente, as tendências, em longo prazo, continuam mostrando que o mundo será mais quente”, disse Tom Karl, diretor do centro de dados do NOAA.

Ártico continua se aquecendo num ritmo maior do que o resto do mundo e a superfície coberta pelo gelo, durante o verão, nesta região, foi a segunda menor já registrada.

“Cada evento climático que ocorre, atualmente, faz parte de um contexto global mutável”, explicou Kathryn Sullivan, vice-diretora do NOAA. “Este relatório anual oferece a cientistas e cidadãos uma análise do que ocorreu, para que nos preparemos para o que virá”.

Fonte: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/511485-o-clima-da-terra-esta-cada-vez-mais-extremo

Anúncios