290511_ipixunaUm agricultor foi encontrado morto no assentamento agroextrativista Praialta-Piranheira, em Nova Ipixuna, no Pará, onde na última terça-feira (24) o casal de ambientalistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo foram assassinados. Santos é o quarto trabalhador morto em uma semana na Amazônia.

Segundo a Agência Brasil, a Polícia Civil do Pará afirma que o corpo do agricultor Eremilton Pereira dos Santos, de 25 anos, foi achado por uma equipe do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), que fazia uma fiscalização na área. Santos estava desaparecido desde quinta-feira (26).

De acordo com a polícia, o corpo tinha marcas de ferimentos a tiros e estava às margens de um lago, na área do assentamento, cerca de 7 quilômetros do local onde o casal de agroextrativistas foi vítima de uma emboscada no início da semana.

A Comissão da Pastoral da Terra (CPT) levanta a hipótese de que Santos foi testemunha da execução do casal de ambientalistas. Mas a polícia avalia que ainda não é possível vincular os dois crimes. A Polícia Federal também está na região para apurar os crimes.

Além dos três assassinatos em Nova Ipixuna, na sexta-feira (27) um líder camponês foi morto a tiros em Vista Alegre do Abunã, em Rondônia. Adelino Ramos, o Dinho, era líder do Movimento Camponês Corumbiara, e vinha sendo ameaçado de morte por denunciar a ação de madeireiros na divisa dos estados do Acre, Amazonas e de Rondônia.

Fonte: Diario da Liberdade

Anúncios