É assim que a política ambiental municipal em Pelotas/RS vem se mostrado em alguns aspectos, notadamente ao que tange a proposta de extinção da atual Secretaria Municipal de Qualidade Ambiental (SQA) e na ocupação de uma área na Praça do Pavão, na zona central da cidade.

O atual governo municipal pretende fazer uma “reorganização administrativa”, seguindo as orientações neoliberais, que consiste, basicamente, em extinção e aglutinação de Secretarias Municipais, como o reagrupamento da SQA e da Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU), nos moldes do que já ocorreu durante anos anteriores. Período nada benéfico para a questão ambiental, pois a mesma tinha um papel para lá de secundário, sendo um inexpressivo apêndice administrativo na estrutura da extinta Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (SMUMA), marcada pela corrupção pela ausência do interesse público em suas ações e políticas.

Já no caso de ameaça a área verde, que se manifesta não somente no caso da Praça do Pavão, mas também em outros que são e continuarão sendo relatados no Blog do CEA, o atual governo municipal ressuscita um antigo projeto, já rechaçado pela sociedade e pelo Conselho Municipal de Proteção Ambiental (COMPAM) na década passada, que se resume na implantação do chamado shopping popular na área verde. Em resumo, tal projeto pretende retirar o direito ao comércio dos vendedores informais, hoje no centro de Pelotas, sacrificando uma das últimas e escassas áreas verdes da cidade.

Anúncios