Por Gilherme Dornelles (AGAPAN)

Precisa-se de pessoa que consiga convencer os políticos à não aprovarem financiamentos com verbas públicas (dinheiro dos impostos e outras receitas) para projetos ou para os chamados mega-empreendimentos ou pacotes tecnológicos, como por exemplo: implantação, duplicação ou quadruplicação de plantas industriais de papel e celulose que utilizam cloro no branqueamento do papel gerando os chamados “ultravenenos” ou dioxinas; construção de grandes e médias hidroelétricas que alagam terras férteis derrubam florestas, alteram o regime hidrológico das regiões, colocam em risco de extinção diversas espécies da flora e fauna e expulsam os agricultores que vão engrossar as favelas das médias e grandes cidades; plantio e comercialização de sementes transgênicas devido ao desconhecimento quanto aos seus efeitos nocivos à saúde humana, animal e ambiental e a dependência e segurança alimentar do nosso povo pelo patenteamento destas sementes pelas grandes indústrias de agrotóxicos (pagamento de “royalties”); construção de usinas atômicas para produção de energia elétrica, devido aos riscos de acidente nucleares ( Tchernobyl, Césio 137 em Goiânia) e a impossibilidade técnica de solução para disposição segura dos rejeitos radioativos – lixo atômico; monoculturas em grandes áreas da Amazônia e do Cerrado que venham substituir  a vegetação original, cujo decréscimo vem provocando interferência na circulação atmosférica da umidade, trazendo como conseqüência mudanças perigosas no regime das chuvas e deslocamentos das massas de ar, tornando imprevisíveis a agricultura e a produção de alimentos;   implantação de plantas industriais que introduzam produtos ou substâncias no ambiente com potencial estrogênico – que provocam diminuição da fertilidade em mamíferos,  répteis e anfíbios e responsáveis por câncer de útero e de testículos, dentre outros – como plásticos à base de petróleo, detergentes, pvc, agrotóxicos, etc.; instalação de ERBs (antenas de celular) próximo à residências, locais de trabalho, áreas de lazer, etc. devido aos efeitos deletérios das ondas e campos eletromagnéticos não-ionizantes; produção de moradias energívoras ( edifícios acima de 05 pavimentos e ou prédios sem projeto de conservação de energia) e produção de moradias em grandes loteamentos em áreas de preservação permanente; construção de mega-estações de tratamento de esgotos ou obras que visem “levar” o esgoto para ser tratado em outra bacia hidrográfica.

NENHUMA POSSIBILIDADE DE PROGRESSÃO

SEMANA DE 07 DIAS

NÃO OFERECEMOS: vale alimentação, vale transporte, plano de saúde e aposentadoria;

SALÁRIO: nenhum

VAGAS: incontáveis

ENDEREÇO PARA CONTATO: AGAPAN

E-mail: agapan.comunica@gmail.com

Anúncios