faixa-cea

O Centro de Estudos Ambientais (CEA), a primeira organização ecológica não governamental da região sul do RS, desenvolve de 12 a 15 de fevereiro, atividades da Etapa II Presencial do projeto “Ambientalistas Educadores”, o qual tem como escopo a formação continuada/recíproca de pessoas que, de alguma maneira, constroem e participam de lutas ecológicas e projetos de educação ambiental.

Os cerca de 30 participantes, selecionados através de Edital Público, representantes de ONGs com sede e atuação no RS, integrantes de coletivos nacionais ou estaduais da sociedade civil, estarão reunidos no Rincão Gaia, em Pantano Grande. Local este de significância histórica ao movimento ecológico, não só gaúcho como brasileiro.

Módulo Presencial I
Módulo Presencial I

Segundo o Coordenador do Projeto, o professor de Direito Ambiental, Antonio Soler, as discussões da Etapa II presencial enfocarão os seguintes temas: 1) Práticas de elaboração de projetos de intervenção educativa e socioambiental; 2) Documentos internacionais socioambientais; 3) A evolução do marco legal no Brasil e seus mecanismos para construção da cidadania ambiental; 4) Gestão Ambiental local e Gestão Compartilhada.

O curso divide-se em 3 etapas presenciais e desenvolve atividades não-presenciais de educação a distância (EaD), estando essa última a cargo da Coordenação do Professor Carlos Machado, do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental (PPGEA/FURG) e  da Mestre em Ciências Sociais, Eugênia Antunes Dias (CEA).

Conforme Eugênia Antunes Dias, nessa Etapa II os participantes estarão aprofundando e debatendo teorias e práticas referentes aos projetos de luta ecológica trabalhados, principalmente, através da plataforma de ensino a distância. Os temas enfocados variam desde propostas de criação de unidades de conservação; de formação do movimento ambiental e de agentes ambientais na comunidade; e de luta contra projetos de significativo impacto ambiental.

O evento contará com a presença de vários colaboradores, dentre eles, Marcos Sorrentino – militante do movimento ambiental que possui significativa experiência na área da Educação Ambiental e atualmente é pesquisador colaborador do CDS/UnB. Além disso, Sorrentino foi Diretor de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (2003-2008).

Para a mestre em Educação Ambiental e Bióloga Cíntia Barenho, da organização do evento, o projeto tem formato inovador, pois articula atividades presenciais e não-presencias, tem uma metodologia participativa e enfoca conteúdos que abordam desde os processos organizativos e de sustentabilidade das entidades e até as pautas políticas de articulação e luta ecológica do movimento.

O projeto, que conta com o apoio fundamental da UNESCO e do MMA e com a parecia do PPGEA/FURG, também está sendo executado no estado da Bahia, em cooperação com a ONG Grupo Ambientalista da Bahia (GAMBÁ). Aqui no RS, participam as seguintes ONGs: AGAPAN (POA), AIPAN (Ijuí), Alga (Caxias do Sul), AMA (Guaíba), Ballaena australis (Barra do Chuí), CEA (Rio Grande e Pelotas), ECOGATO (Pelotas), Fundação Gaia (POA), Fundação Moa (Santa Maria), Fundação Tupahue (Pelotas), GAEC (Pelotas), GEAN (Arroio Grande), Grupo Ecológico Guardiões da Vida (Passo Fundo), IMCA (Montenegro), INGA (POA), Instituto Biofilia (POA), AMIZ (Pelotas), Instituto Orbis (Caxias do Sul), MIRA-SERRA (São Francisco de Paula), Os Verdes (Tapes), NAT (POA), NEMA (Rio Grande), GESP (Passo Fundo) e o Sindicato dos Bancários (Pelotas e Região).

Anúncios